Archive for January, 2008

Projeto Minuti’ – O Quadro relógio

January 29, 2008

Quadro Liberdade ao Alto para Relógio Minuti’

Olá,

Fiquei bem feliz com o convite de um grande amigo pra participar de seu projeto de design chamado Minuti’. Um projeto bacana cujo tema é o Tempo e as representações artísticas em torno dele. Tudo trabalhado nas dimensões de um relógio. Ele convidou artistas, designers e publicitários para criarem suas interpretações a serem exibidas e vendidas para o mercado nacional e internacional. Aceitei o convite com imenso prazer, já que pelos convidados participantes e pelos trabalhos, sabia que o projeto teria tudo pra ser um sucesso. Sr. Borel, parabéns pela iniciativa, tô orgulhoso como as coisas estão andando e também na torcida por aqui.
Abaixo posto o relógio que fiz, na verdade é um de meus quadros aplicado à peça de design. Achei que a energia explosiva de liberdade que esse quadro transmite seria bem apropriado para a ocasião. Abaixo o quadro para poderem ver os detalhes.

QUADRO | Liberdade ao Alto

Enquanto isso, as coisas seguem por aqui com mais uma dia de chuva, aí, aí… Breve tenho mais novidades pra postar, aguardem.

Veja aqui os trabalhos dos outros artistas convidados:

http://www.flickr.com/photos/minuti

Per ora, Piuvosi Saluti a voi
Abraços chuvosos

“The girl who collects shells” has come back – Estudos Compositivos Avançados

January 24, 2008

Ciao a tutti

Em pleno verão, São Pedro, o dono da torneira lá de cima, resolveu nos presentear com uma semaninha sem sol e de frio por aqui. Mesmo trabalhando bastante no “Daily but amazing Job”… (Vale um cometário aqui de minha parte. Essa semana completei um ano que estou na Grïngo, estou feliz de fazer parte deste clã porque o ambiente, a equipe, os projetos e principalmente meu mentor são todos autênticos inspiradores e que combinados, resultam numa química fantástica capaz de me fazer sentir ao vir trabalhar, como se estivesse indo encontrar velhos amigos artistas pra traçar planos de dominação do mundo e fazer coisas interessantes. Só tenho a agracedecer por estar do lado de gente tão talentosa e de alma boa). Mas não é sobre isso que queria escrever neste post, pelo menos não hoje. Apenas saiu. 😀

Aproveitando o frio e a chuva que está fazendo lá fora esta semana, procurei dar uma molhada nas idéias pra ver se resolvia uns detalhes que faltavam no quadro “The Girl Who Collects Shells… (…has come back to the coast)”. Ainda sentia falta de soluções para a estrutura da figura tema principal. Notava que havia muitas linhas no campo médio-superior que me causavam tensão desnecessária à composição, diminuindo minha sensação de leveza e contemplação que tenho buscado pro conceito do quadro desde sua “prima idea”.
Passei vários dias trabalhando arduamente nesse quadro, pensando em cada detalhes e o maior dos meus problemas está sendo chegar a uma harmonia compositiva de cabeça, ombros, linha da cintura e pés. AH, os pés! Quando os imaginei, eles estavam perfeitos, eram pés fortes, enraizados mas com leveza! Nos últimos estudos, acho que consegui chegar próximo ao que estava na minha cabeça. Fiz o pé esquerdo e gostei, falta o outro ficar harmônico também. Vamos ver como vai nascer o resto da composição. Estou animado pra terminá-lo. Por enquanto, fico eu com meu copo cheio de vinho aqui a desenhar, esperar e a perguntar.

Logo abaixo posto meus últimos estudos:

The girl who collects shells has come back to the coast | Estudos avançados

Canção da Despedida – Geraldo Azevedo, Elba Ramalho

January 18, 2008

Hoje minha inspiração veio por aqui. Fui pego de calças curtas logo no café-da-manhã por uma música. O mais perto que consigo de descrever a sensação é compará-la com a forma como Walt Disney representava o cheiro de comidas gostosas em seus desenhos, se lembram daquela fumacinha com uma mão que flutuava e puxava o nariz do Pluto e o fazia babar?

Bem, aconteceu o mesmo comigo hoje, só que ao invés do nariz foi com meus ouvidos, logo cedo ao acordar. Achei um vídeo no YouTube de alguém tocando apenas a melodia, posto a letra logo abaixo. Infelizmente não encontrei na web, a música na voz da Elba Ramalho, mas pra quem quiser, recomendo muito procurá-la e ouví-la. A música originalmente é de autoria de Geraldo Azevedo e Geraldo Vandré, mas é na interpretação da Elba Ramalho que vi Dós, Rés e Fás coloridos na minha frente. Bom, boa inspiração a todos.

Canção da Despedida
Composição: Geraldo Azevedo/Geraldo Vandré
Interpretação: Elba Ramalho

Já vou embora
Mas sei que vou voltar
Amor não chora
Se eu volto é pra ficar
Amor não chora
Que a hora é de deixar
O amor agora
Pra sempre ele ficar

Eu quis ficar aqui
Mas não podia
O meu caminho a ti
Não conduzia
Um rei maucoroado
Não queria
O amor em seu reinado
Pois sabia, não ia ser amado

Amor não chora
Eu volto um dia
O rei velho e cansado
Já morria

Perdido em seu reinado
Sem Maria
Quando eu me despedia
No meu canto lhe dizia

Nasceu “O Casamento da Poesia”.

January 17, 2008

<a mce_thref='https://piedealato.files.wordpress.com/2008/01/quadro-0801-casamentodapoesia-sketch-031.jpg' title='Quadro | O Casamento da Poesia - Estudos final'><img mce_tsrc='https://piedealato.files.wordpress.com/2008/01/quadro-0801-casamentodapoesia-sketch-031.jpg' alt='Quadro | O Casamento da Poesia - Estudos final' /></a>

E nasce mais um filhote.
Esse foi difícil, busquei a todo custo ser o mais fiel ao conceito do quadro, isso me custou vários testes e bons cálices de vinho, mas senti que consegui chegar a mesma harmonia cromática que rodava minha cabeça para representá-lo. Consegui levar a figura que representa a Sensibilidade (a Poesia), a ternurna necessária para domar sua parte Instintiva. Tô feliz com o resultado. Além de prestar a devida homenagem ao meu Frater Roberto Scalia que me emprestou um pouco de seu dom e inspiração para batizar a obra. Frater, dedico a parte Poesia desta obra a nossa amizade. Saluti, caro!
Dessa vez, o fato que mais me chamou atenção foi entender o processo de visualizar uma escala de cores na minha cabeça, a forma como ela se formava, ficava ou partia. Certas horas, me deu um certo desconformo na hora de transpor para a tela porque na maioria das vezes, as cores que estão na minha cabeça, me aparecem meio turvas e difíceis de serem escolhidas assim,logo da capo. Há que se ter tempo, há que se ter paciência. A certeza é que uma hora a harmonia entre elas surge, daí o sussego volta e tudo volta a harmonia inicial.
Enfim, brindo a você que chegou, meu filho.Vida linda pela frente, Avanti.

Quadro | O Casamento da Poesia - Detalhes

O Casamento da Poesia – Estudos preparatórios

January 15, 2008

Quadro | O Casamento da Poesia - Estudos preparativos

Assim começaram os estudos do último quadro que fiz. Munido dos bons e velhos companheiros de qualquer artista e sem precisar de nada mais, nada menos. Me bastaram um folha de papel amassada e uma caneta para poder colocar em traço, aquilo que nos meus outros dois planos (mente e coração) claro já estava.O sentimento que me levou a criar este quadro foi o de questionar até que ponto (a medida, o Quanto) a Sabedoria e a Sensibilidade poderiam influenciar sobre um alguém bruto de espírito arredio, selvagem. O quanto essa natureza selvagem poderia ser domada, refinada. E o quanto dessa energia visceral, que faz parte de qualquer ser-humano, poderia ser direcionada e impactada por forças mais sublimes.Enfim, é mais uma daquelas questões que ficam rodando a minha cabeça, vez por outra me fazendo cócegas.Sabe daquelas que te acompanham quando acorda, logo depois que a gente se dá bom-dia?Prometo se encontrar a resposta alguma hora dessas (espero que ela venha quando estiver bem sentado sob uma sombra ao sol das 16 horas), postar e falar pra quem estiver interessado em trocar idéias sobre o assunto. Por enquanto, deixo apenas o questionamento, uma imagem e um abraço.Saluti

Pintando na parede a interpretação da vida de um ‘irmão’

January 11, 2008

Pintura em parede na casa do Victor Sahate

Foi bem interessante fazer este projeto, uma parede branca na minha frente enquanto trocava idéias em mais um papo fantástico com meu broder sobre as coisas de nossa Vida Severina. Resolvi que quis lhe dar um presente.
Comecei estudando a área que teria para trabalhar, analisei os objetos que iriam dialogar com a pintura, como eles dialogariam entre si ao longo do tempo. O legal é que o fato da parede ser no quarto dele tornou a narrativa da pintura ainda mais conectada com o Todo. O trabalho em si fluiu. Fui como as estrelas de Goethe, sempre constante e sem pressa. Até que…..nasceu.

Essa é a interpretação que fiz da vida dele. Senti que foi mais um selo que colei em nossa amizade ao terminar a pintura. Vou ver se consigo postar fotos maiores depois.

Saluti

Cartão de trabalho. Minha cabeça cospe fogo.

January 11, 2008

Esse aí sou eu com a cabeça pegando fogo. Meu cartão de trabalho.
Quadros, Portraits, Obras murais (quadros em parede) e tantas outras coisas.

Se precisarem de alguma encomenda, só entrar em contato.

geO | cartão de trabalho

Para assinar os quadros, os fados e as coisas do além-mar

January 11, 2008

Assinatura do geO

Essa é a assinatura que uso para meus quadros. A forma é simples e pessoal. É tudo de que preciso. Minha mão as vezes me surpreende. ;P

Inspiração diária. E tem?

January 11, 2008

Blotta passeando pelos elementos do mundo do geO

A maioria das pessoas não tem idéia de onde tirar inspiração pra seguir o dia-a-dia, pra criar, pra deixar as experiências mais interessantes de serem vividas…
Tô cansado de ver gente ao meu redor a viver robotizado, quase como máquinas. É triste mas é fato, tudo puxa pra continuar nessa Vida Severina, essa Vida de Plástico. Mas acredito que dá pra sair desse estado de torpor, Aprendi que Inspiração é algo a ser trabalhado todos os dias. E não sei se como dica, posto apenas uma foto que achei fuçando meus arquivos por aqui, mas que diz muito sobre minha forma de ver as coisas do mundo e entender as pessoas ao meu redor.
Aqui estão minhas inspirações que diariamente me fazem lembrar de quem realmente sou. E como fala o Mestre-músico Henri Salvador em uma de suas canções “Tout ça c’est pas grave!”, pelo menos pra mim!

Abraços inquietos

Ouvindo música voltando pra casa, se fez luz na minha mente ao ouvir esta frase “…The girl who collect shells has come back to the coast…”

January 10, 2008

Estudo de corpo e expressão compositiva

Estudos de cabeça e proporções

Estudo de estilo para pés A

Estudo de estilo para pés B

Estes são os primeiros estudos de um dos meus próximos quadros. Descobri recentemente um songwriter americano, chamado Fionn Regan. Ele anda na trilha do folk ’60, seguindo o estilo do mestre Bob Dylan, eu tenho ouvindo bastante ultimamente.
Certo dia, fui fisgado por uma frase de uma de suas músicas, me chamando bastante a atenção, foi poesia e sentimento de conexão. Estava voltando pra casa do trabalho à noite e foi como se me musas soprassem inspiração aos meus ouvidos. Mais uma vez, se fez luz na minha frente. Aquele trecho da música “Hey Rabbit” (faixa 4 no disco The End Of History) bateu forte e me inspirou fundo a fazer um quadro. Ali senti que nasceria algo interessante em breve, já conseguia visualizar a cena. Alguém sentado a observar era a cena que não saida de minha mente e a frase fonte da inspiração foi a seguinte:
“…The girl who collect shells has come back to the coast…”
Resolvi postar alguns estudos do quadro, aí estão.
O quadro é nato em elemento Ar, de postura contemplativa, ouvindo o que o vento tem a dizer e esperando, não sei se pelos pensamentos certos ou por alguém. Irei perguntar a medida que trabalhar mais nele. Próximos passos, tintas a serem compradas, o papel já foi escolhido, e em breve, quando sentir que Ela vai querer nascer, celebrarei seu batismo com minha melhor tinta e um bom copo de vinho para as boas-vindas.

Em breve subo novos estudos. Daí acho que já descubro o que Ela faz sentada a divagar.